O Estilo das Tribos: Rockabillys

24/03/2013 12 Comentários por

rockabillys_ft01

Muito do que vestimos hoje tem influência de várias tribos e movimentos musicais que permearam o cenário pop na segunda metade do século XX. Um dos primeiros movimentos deste tipo é o dos rockabillys, cujo nome vem da amálgama das palavras rock e hillbilly, esta última tratava-se da maneira como era designada a música country nos anos 50, mas a verdade é que a parte musical deste estilo teve diversas influências, dentre elas o jazz e o blues.

rockabillys_ft02

Mesmo com expoentes como Bill Halley, Elvis Presley, Chuck Berry e Jerry Lee Lewis, este gênero musical perdeu força no final dos anos 60, provavelmente pela chegada dos movimentos hippie e punk, além do cenário criado pela guerra do Vietnan e a ida do homem à lua, apontando para mudanças globais e um futuro tecnológico, distante da simplicidade do rockabilly.

rockabillys_banda_ao_vivo_ft04

Nos anos 80 o rockabilly voltou a chamar atenção graças a filmes como Fera do Rock, contando a história do ícone Jerry Lee Lewis e La Bamba, biografia de Ritchie Vallens. No Brasil as duas obras fizeram enorme sucesso, gerando um incontável número de casas noturnas especializadas no estilo e até a vida de bandas – como foi o caso do Stray Cats – para shows no país no final da década.

Se você tem alguma simpatia por calças jeans com a barra dobrada, suspensórios, camisas xadrez, jaquetas de couro e camisetas básicas, fique sabendo que isso é praticamente um uniforme para a galera que adota este estilo. Os topetões que voltaram a ser ostentados pelos rapazes, o visual pin-up das meninas e as tatuagens com temas retrô como rosas e caveiras também tem tudo a ver com os rockabillys, e se a palavra hipster veio a sua cabeça, você está correto.

rockabillys_editorial_fiasco_ft05

Foto do editorial de moda da Fiasco Magazine

Ao contrário dos hippies que tem ideologias definidas, o rockabilly está mais para um estilo de vida, onde a brilhantina, os carrões rabo de peixe e a música ocupam um espaço fundamental, mesmo assim no final da década de 50 conquistou adeptos do outro lado do Atlântico, o britânicos conhecidos como Teddy Boys, que viriam a ser o embrião do movimento punk, mas isso é outra história…

Elementos característicos do visual rockabilly:

– Topetes impecáveis;
– Óculos Wayfarer;
– Jaquetas de couro Perfecto;
– Camisetas básicas brancas;
– Camisas xadrez;
– Calça jeans justa;
– Calça com a barra dobrada;
– Tatuagens com pin-ups, chamas, dados, caveiras e rosas, sempre com cara old school;
– Sapatos estilo loafer ou coturnos;
– Meias brancas;
– Cinto de couro com fivela grande.

Este look que eu montei no Polyvore ilustra bem estes elementos:

Biker

Mais algumas imagens que mostram o estilo rockabilly (clique para ampliá-las):

E para finalizar, entre no clima com uma música do Stray Cats:

Leia também:

Destaques, Estilo, Moda Masculina

Sobre o autor

Ricardo Terrazo Junior acredita que com bom senso e iniciativa qualquer homem pode se vestir bem. Quando não está escrevendo aqui divide seu tempo entre seu trabalho como designer gráfico e seu outro site, o Bazar Pop.

12 Responses to “O Estilo das Tribos: Rockabillys”

  1. Marcus Baby says:

    Ricardo, adorei a matéria, muito show mesmo! Acabei de perceber que o meu visual também possui elementos Rockabilly apesar d’eu abusar de peças de outros estilos, principalmente o rocker e o punk. Só não sabia que a famosa camisa xadrez vinha também dessa praia, achei ser originária do movimento grunge dos anos 90, enfim… Já estou curioso para ler sobre a moda masculina de outras tribos!

    Movimentos andróginos como David Bowie, Prince e Adam Lambert serão falados nessa série?

  2. BEATRIZ says:

    Oi Ricardo tudo bem?
    Então adorei seu post e queria saber se você usou algum livro, se usou de poderia me passar o nome estou fazendo um trabalho sobre moda masculina e esta difícil de encontrar livros sobre esse assunto de estilo e tribos dos anos 50.Obrigada

  3. Headbanger says:

    Olá Ricardo,
    Tenho uma dúvida: será agressivo de mais usar coturno com a barra da calça dobrada (ou para dentro do coturno) em um ambiente de trabalho informal?
    Nesse visual rockabilly, pulseiras caem bem também?
    Abração e teu site é ótimo, acabei de entrar e já li muitas boas dicas!

    • Ricardo says:

      Oi Headbanger,
      mesmo em ambiente de trabalho informal vez ou outra temos que tratar com clientes, então sempre é melhor não radicalizar muito, portanto dá para usar coturno, mas sem dobrar a calça até a canela, pulseiras também são uma opção, mas poucas e nada muito volumoso. O ideal é colocar um pouco da sua personalidade no look do dia a dia sem deixar de se adequar ao local frequentado. Agora, se você trabalha na Galeria do Rock, por exemplo, pode ir até de moicano! ; P
      Abs.

  4. Headbanger says:

    Hehehehehehe!
    Obrigado pelo retorno Ricardo!
    Trabalho em uma empresa grande de TI, mas não tenho contato com clientes.
    Estou tentando sair do visual “rockeiro todo de preto” pra algo Rockabilly com um toque militar (gosto muito de verde oliva) e também dando uns toques de personalidade.
    Obrigado pelas dicas! E já vi aqui no blog como fazer minhas próprias pulseiras! Ótimo blog Ricardo!
    Abração!

  5. Ed Carvalho says:

    Eu sou um Rockabilly e nem sabia kkkk. Praticamente tenho tudo l que foi descrito. Gosto muito deste estilo e com exceção do topetes eu acho tudo o máximo. Adorei o post. Recomendo uma banda atual que toca o estilo. Chama-se Heavy Trash.

  6. Modinha says:

    Ricardo, adorei sua matéria! Mas gostaria MUITO de saber as fontes que vc utilizou…

    • Ricardo says:

      Modinha,
      como este post já foi publicado há algum tempo eu não estou me recordando das fontes exatas, mas lembro de ter pesquisado em uns 5 sites que falavam a respeito do movimento, um ou dois deles eram gringos. Também usei algumas informações que eram de meu conhecimento, pois gosto muito do estilo, inclusive fui ao show do Stray Cats em 90, no extinto Projeto SP.
      Abs.

  7. Modinha says:

    Ok! Muito obrigada Ricadro! Atée 🙂

Deixe um comentário