A História do Chuck Taylor All Star da Converse

A trajetória do tênis mais popular da história.

1

É difícil pensar em tênis e não imaginar um Chuck Taylor All Star, o calçado que já foi usado por, pelo menos, 60% dos americanos passou pelo século XX com um dos mais populares sneakers de todos os tempos e até os anos 60 dominou o cenário esportivo, além de ser adotado pelos jovens, bandas de rock e celebridades do cinema e TV.

Isso não te faz pensar em como essa jornada começou?

O Início da Converse

2243102_FACTORY

Em 1908 um profissional do ramo dos calçados chamado Marquis Mills Converse fundou, em Malda, Massachusetts, sua própria empresa de calçados com sola de borracha: a Converse Rubber Shoe Company. Na época a borracha estava para a indústria como a impressora 3D está hoje para os pequenos negócios, todo mundo tentava se dar bem usando esse recurso de alguma maneira, afinal, as possibilidades pareciam infinitas.

Chuck Taylor e o primeiro All Star

O primeiro Converse All Star

Em 1917 a empresa lançaria sua primeira versão do Converse All Star, um calçado destinado a prática esportiva, mais precisamente o basquete, esporte muito popular até então. Em 1921 um jogador semi-profissional de basquete chamado Charles ‘Chuck’ Taylor surgiu na loja da Converse com uma porção de sugestões (e algumas reclamações) para a melhoria do produto, afinal ele entendia do esporte e sabia o que era necessário. A empresa, que não era boba, deu a Chuck um emprego como vendedor e embaixador da marca, aproveitando-se de seu entusiasmo e expertise para desenvolver um tênis melhor e divulgá-lo por todo país. Em 1932 a empresa reconheceria seus valiosos esforços em aperfeiçoar e divulgar o tênis, adicionando seu nome ao logo e patches do produtos, nascia finalmente o Chuck Taylor All Star.

Charles ‘Chuck’ Taylor em ação.

Conquistando a América

O All Star teve vendas tímidas no início, mas graças ao entusiasmo e dedicação de Chuck Taylor no trabalho de promovê-lo as vendas sofreram um rápido crescimento, tornando-o o primeiro calçado dedicado ao basquete produzido em massa nos EUA.

Com a chegada das Olimpíadas de 1936, Chuck Taylor desenhou um novo modelo de All Star, com o tradicional cano alto, lona branca e faixas discretas nas cores azul e vermelho. O calçado patriótico se tornou sucesso ao lado dos tradicionais, sendo produzido até os dias de hoje.

Modelo criado para as Olimpíadas de 1936

Na Segunda Guerra Mundial Chuck Taylor serviu como capitão e parte de seu serviço era treinar as equipes de basquete das tropas – atividade considerada importante, pois mantinha o espírito de equipe e a moral dos soldados em alta e adivinhe qual calçado foi adotado pelos times militares. Nem na guerra o All Star ficava para trás…

Em 1949 foi produzido o primeiro Chuck Taylor All Star preto e branco como alternativa ao modelo monocromático, popularizando de uma vez por todas o design que nós conhecemos hoje. Em 1957 surgem os primeiros “Chucks” cano baixo (low cut) que ganharam público entre os jovens por causa de seu apelo casual e menos esportivo. A essa altura, aliás, os modelos de All Star já eram usados por atletas, estudantes, trabalhadores.

O auge do Chuck Taylor All Star

Elvis Presley de All Star nos anos 60.

Em 1968 Charles ‘Chuck’ Taylor, considerado o embaixador do basquete, foi incluido no Basketball Hall Of Fame em reconhecimento a todos os seus serviços em prol do esporte, mas, infelizmente, viria a falecer um ano depois, contudo, seu nome estava eternizado também nos calçados dos jovens no mundo todo, embora poucos conheçam sua história.

Até então a Converse reinava: nos anos 60 a ela tinha de 70% a 80% da indústria de tênis nos EUA e isso não era pouca coisa! A situação só viria a mudar nos anos 70 com a competição se tornando acirrada – Nike, Adidas e Puma vieram com tudo, dispostas a tirar a Converse do topo… e conseguiram!

A derrocada da Converse

No anos 70 lançamentos dos concorrentes com novos solados e palmilhas, além dos cabedais de couro, fizeram os Chucks parecerem desatualizados, mudando as escolhas dos atletas, sempre em busca de uma performance melhor. Mas vamos ser justos? Decisões de marketing ruins e estratégias equivocadas por parte da Converse também contribuiram para a derrocada, a empresa facilitou o trabalho da concorrência!

Sobrevivendo graças a cultura pop

Mas nem tudo estava perdido, um rei nunca perde a majestade, e nos 80 o All Star ressurgiu graças a seu estilo casual, jovem e despojado, aliado a um preço acessível, afinal, era apenas um calçado de lona com sola simples de borracha, enquanto as outras marcas como a Nike, Adidas e mais recentemente a Reebok, que se encontrava em plena ascensão, ofereciam pares cada vez mais sofisticados e caros.

Os no cinema e na música os ídolos continuavam calçando seus Chucks: Os Ramones nos anos 70 e Michael J. Fox no filme “De Volta Para o Futuro” ou o The Edge nos shows do U2 nos anos 80 (entre tantos outros) mostravam que o All Star tinha uma ligação com a juventude que era praticamente impossível de ser desfeita. Nos anos 90, Kurt Cobain, do Nirvana, apresentou-o para toda uma nova geração de garotos que começavam a escutar rock e adotavam o visual grunge com cabelos longos, camisas xadrez e Chucks nos pés.

A Nike salva o All Star!

Mesmo fazendo parte da cultura pop e sendo revivido de tempos em tempos pela moda, as vendas da Converse se apoiavam apenas na linha All Star, o que não garantia a saúde financeira da marca. Em 2001 a empresa entrou em processo de falência, com uma nova administração assumindo e mudando suas operações para países asiáticos, buscando um custo de produção mais barato. A medidas deram certo, a Converse, embora combalida, conseguia espantar o fantasma do fechamento, afinal ainda tinha um nome sólido e um produto amado no mundo inteiro!

Em 2003, a Nike, ironicamente uma das maiores rivais da Converse, adquire a marca e todas as suas operações por 309 milhões de dólares e investimentos pesados em novas linhas e marketing.

David Tennant Dr. Who Chuck Taylor All Star
O Dr. Who de David Tennant (2010-2012) de terno e sobretudo, mas com o toque irreverente do All Star nos pés. A Coverse marcava presença no cinema e na TV novamente!

A partir daí a história muda novamente, a empresa passa a receber investimentos que garantem a criação de novos modelos e parcerias com artistas, estilistas, bandas de rock e marcas de streetwear, gerando produtos com grande apelo fashion e jovem. O Chuck Taylor All Star deixa de ser apenas o tênis vintage para se tornar objeto de desejo de fashionistas e sneakerheads, continuando com essa estratégia até hoje.

Chuck Taylor All Star II – Uma versão mais clean do clássico sem perder a essência.

Em 2015 a Converse anuncia uma novidade na linha: o Chuck Taylor All Star II (leia mais aqui) uma versão com design mais clean e novos materiais vem com intenção atualizar o ícone sem fazê-lo perder as características que são amadas por tantas pessoas, entretanto o modelo antigo ainda continua sendo o carro-chefe da marca.

Do All Star marrom de borracha escura aos modelos criados por John Varvatos com pegada punk rocker, a criação da Converse em parceria com Charles Taylor teve momentos de altos e baixos, mas nunca foi esquecida, ela continua sua relação não só com a juventude americana, mas com pessoas de todas as idades do mundo inteiro. Gerações calçaram seus Chucks com orgulho e provavelmente muitas outras farão o mesmo.

…….

Leia também:

Jaqueta Trucker da Levi’s: Sua História e Características

1 COMENTÁRIO

  1. Muito bom o texto, Ricardo! Lembro que na minha juventude tive um, mas somente agora, fui apresentado ao Chuck Taylor All Star! Bela recordação! Parabéns!

Deixe uma resposta