Papo H Podcast #95 – Relacionamentos Longos, Empatia, Jet Lag

5

Relacionamentos longos podem se tornar complicados, mas também podem se tornar mais fortes conforme o tempo vai passando, cabe ao casal saber administrar os problemas que vem surgindo pelo caminho. Mas como será que se comportam os relacionamentos longos atualmente, com redes sociais e a rotina atarefada da vida moderna. É isso que Barbara Duarte, Ricardo Terrazo Jr. e o Carrasco vão debater no primeiro bloco do Papo H.

O segundo tema é muito comentado, mas pouco conhecido. Como isso é possível? Bem, muita gente não sabe direito o que é empatia, mas adora repetir a palavra por aí. Entenda melhor esse conceito, saiba sua origem e veja como ele pode te tornar uma pessoa do bem!

Todo mundo que já fez uma viagem longa provavelmente já sofreu de jet lag, essa sensação incômoda fruto de uma viagem extenuante, troca de fuso-horário e adequação a uma nova realidade. O assunto do terceiro bloco caiu como uma luva para nosso viajante inveterado, o Carrasco, que dá dicas para contornar o problema.

Apoie o Canal Masculino e o Papo H

Visite nossa página no Padrim para ver as vantagens de apoiar nosso trabalho e como você pode fazer isso! Seja um patrono da elegância!

www.padrim.com.br/canalmasculino

Nossos padrinhos:

André Luís Peçanha, Lázaro Moura Azevedo, João Ricardo de Oliveira Lima, Marcelo Lorenzini Coelho, Fabio Sanchez, Francisco Faria, Savio Issago, Vinicius Montezano dos Santos, Leandro Lucena, Gabriel Costa Teixeira, Marcus Peres, Mauricio Greboge, Luiz Fernando dos Santos Lima, Rodrigo Reul, Daniel Koudi Nakano, Carlos Eduardo de Araújo Pontes, Thiago Ferraz.

Nosso playlist no Spotify

Para ouvir a playlist com todas as músicas que encerraram os episódios do podcast clique aqui. ou procure por Papo H – OST nos playlists do Spotfy.

Dê sua opinião

Caso queira enviar sua mensagem, clique em contato no menu do topo ou deixe seu comentário logo abaixo.

Assine

– Abra o iTunes > Clique em arquivo > Selecione Assinar Podcast > Cole a URL abaixo no campo indicado.

– Feed RSS para assinar no iTuneshttp://www.canalmasculino.com.br/feed

Ouça o Papo H agora!

Clique no player abaixo para ouvir o 95º Papo H Podcast  ou no link  “download” para baixar o arquivo MP3.

5 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia, primeiramente parabéns pelos podcasts, sempre trazem informações e discussões importantes. Acabo aprendendo muito, obrigado.
    Sobre o último podcast, onde se falou sobre relacionamentos longos, gostaria de contribuir com um outro ponto de vista.
    A ótica de vocês estava perfeita no que norteava os relacionamentos que vocês conheciam, da época em que viveram, então queria mostrar um outro ponto, que é tentar, negrito: tentar, viver um relacionamento longo com essa nova geração (Y, Z, Millenial, nem sei mais), com a qual, me incluo.
    Tenho 27 anos, já estou mais perto do 3.0 do que 2.0, mas nem por isso me considero velho, ou algo do gênero. Tenho me relacionado há anos com mulheres da mesma idade que eu, ou mais jovens, e tenho notado algumas sutilezas.
    Existe uma cultura de viver o momento, curtir a vida adoidado 2, onde as coisas não têm tanto peso quanto antigamente, namoro, emprego, vida social, etc. Noto uma falta de apego e consideração pelas coisas, o que torna muito difícil levar um relacionamento longo.
    Tudo muda muito rápido, ideias, prioridades e desejos, é difícil de acompanhar em tempo real todas as vontades do parceiro, fora que muitas vezes são facilmente influenciáveis pela mídia, novos amigos e novas hypes.
    Onde quero chegar é o seguinte, hoje em dia, e me perdoem os ouvintes, que, como eu, são um pouco mais tradicionais, está praticamente impossível você levar um relacionamento longo com todos os planos e desejos do que se imagina para um casal adulto.
    Fica um pouco do meu desabafo, espero ter contribuído. Continuem sempre trazendo esse conteúdo de qualidade, por gentileza.

    • Verdade! Eu que nasci em 1983 vejo “de longe” isso acontecendo com os colegas de trabalho mais novos.
      É comum eles tirarem férias com a(o) namorada(o) da vez, viajarem para algum lugar e viverem intensamente aquele momento único com a pessoa e dias depois nunca mais falar com a pessoa. Ao serem perguntados sobre o companheiro, eles dizem que “foi o momento, passou e cada um foi pro seu lado”. Normalmente por causa de incompatibilidades de rotina ou trabalho.

  2. Ótimo programa pessoal.
    As vozes de vocês realmente prende a atenção no assunto discutido. Eu gosto principalmente das explicações do Carrasco. Além disso, eu sou do time que confunde o Tato e o professor Maury.
    Uma surpresa no final do programa foi a utilização de uma música do Shinedown.

  3. Ricardo, por favor… diminui o volume da abertura do podcast.. eu e outras pessoas já reclamamos. Ouça a voz dos usuários… está muito alto e machuca o ouvido. Não fale que é o fone de ouvido pq já mudei varias vezes de fone e continua do mesmo jeito e tbm pedir pra os usuários diminuírem o “volume” do celular é piada ne? Refletindo sobre o assunto identifiquei 3 pontos de analise: 1. Talvez seja um particularidade dos fones auriculares. 2. O volume esta mais alto que os outros podcasts, assim quando inicio o seu podcast “machuca” os ouvidos. 3. Tons agudos, o que irrita a audição da introdução é o agudo. Enfim, independente disso é mais pratico vcs ajustarem o volume da abertura, e tbm tirar um pouco do agudo. Seus fãs irão agradecer eternamente!

Deixe uma resposta