10 Dicas Para Não Comprar As Roupas Erradas

22/11/2012 5 Comentários por

Uma das coisas mais comuns no guarda roupa masculino são peças que encontram-se absolutamente sem uso e provavelmente nunca verão a luz do dia. Este fenômeno é resultado de uma série de equívocos no momento da escolha e compra das roupas, pois ao contrário do que muita gente pensa, há uma certa ciência por trás disso, mas se você se fizer as perguntas certas quando estiver no provador, provavelmente nunca mais sofrerá tal problema. Saiba agora quais são essas perguntas!

1 – Eu preciso disso?

Você realmente precisa dessa peça de roupa? Que utilidade ela terá em seu cotidiano, ou em que ocasiões específicas você irá usá-la? Garanto que se pensar mais a respeito deste assunto poupará uma boa grana!

Não compre só porque está barato! Preço não é o único fator importante!

2 – Quanto vou usar esta roupa?

Não se trata só de comprar algo que usará, mas também mensurar seu custo benefício. Algo que terá poucas oportunidades de compor um look ou é para ocasiões raras, obviamente é um desastre em termos de custo benefício.

3 – É moda passageira?

O impulso consumista pode nos levar a comprar roupas que estão com grande visibilidade na mídia, mas que em breve serão esquecidas e até consideradas ultrapassadas. Lembrando do último tópico sobre custo/benefício, imagine quantas vezes você vestirá este item, depois olhe a etiqueta de preço.

Será que você tem onde usar isso tudo?

4 – Fica bem em mim?

Só porque é chique, bem feito ou está na moda não quer dizer que se encaixa em seu estilo! Sabe quando vestimos alguma coisa e parece que ela quer saltar para longe do nosso corpo (tenho sentimento similar quando provo um chapéu), então, esta roupa é para outra pessoa!

5 – O caimento está bom?

É bonita, barata, útil e tem tudo a ver com você, mas sobra tecido, te deixa com os ombros caídos ou parecendo mais baixo? Melhor colocar a roupa de volta na arara, meu caro…

6 – Combina com meu guarda roupa?

Tem mais essa: a roupa é tudo de bom, mas você não tem com o que usar e terá que atualizar todo o seu guarda roupa para poder montar um look com ela. Sinto dizer, mas há uma grande possibilidade de que ela se torne uma moradora fixa do cabide.

7 – É de boa qualidade?

Esta pergunta complementa o quesito “caimento” e tem tanta importância quanto. Se a roupa parece OK mas tem forro sobrando, material de qualidade duvidosa e acabamento barato é melhor ficar longe.

8 – Combina com os ambientes que eu frequento?

O tipo de indagação que pode ser mais um impeditivo para a compra de uma determinada roupa, afinal aquela bermuda para água até pode ter ficado ótima em você, só que faz uns dois anos que não passa nem perto de uma praia ou clube. Acho que você tem coisa mais útil para comprar.

Complicou, né? Calma que tem mais!

9 – Já não tenho o suficiente desse tipo de roupa?

As vezes ficamos fissurados por um estilo ou uma determinada peça de roupa ou acessório, resolvendo investir pesado naquilo que fica bem, mas esquecendo o limite das coisas, até chegar o momento em que, por exemplo, temos uma camiseta para cada dia do ano. Não preciso dizer como essa fissura é exagerada!

10 – Vou ter coragem de usar isso?

Nem sei dizer quantas vezes ouvi alguém dizer que comprou algo e nunca teve coragem de vestir. Lembre-se, se a roupa é ousada demais e você está inseguro quanto a possibilidade de usá-a, sentindo-se mal em ser o centro das atenções, é melhor deixar esta peça para outro.

Opinião do autor:

Obviamente existem momentos onde não poderemos aplicar estas regras. Vou dar um exemplo: surgiu um casamento de última hora e você não tem um terno, sendo obrigado a comprar um e depois usá-lo neste evento o deixará guardado até que mais algum amigo resolva contrair núpcias, o que pode demorar anos! Neste caso várias das perguntas acima foram respondidas de maneira incorreta, mas diante do perigo da quebra do protocolo (ou seja, ir a uma festa importante vestido como um maloqueiro) somos obrigados a esquecer as regras e privilegiar o convívio social, aliás esta é uma boa oportunidade para dizer que vocês não devem levar tudo o que escrevemos aqui a ferro e fogo, afinal, toda regra tem exceção!

Leia também:

Destaques, Estilo, Moda Masculina

Sobre o autor

Ricardo Terrazo Junior acredita que com bom senso e iniciativa qualquer homem pode se vestir bem. Quando não está escrevendo aqui divide seu tempo entre seu trabalho como designer gráfico e seu outro site, o Bazar Pop.

5 Responses to “10 Dicas Para Não Comprar As Roupas Erradas”

  1. Edson Oliveira says:

    Post excelente!

  2. Fernando Filho says:

    Confesso que já comprei por que gostei e estava em promoção e usei mais de duas vezes, mas agora ao comprar levarei em conta se eu estou precisando e que ocasião irei usa-la, pois assim economizarei mesmo que esteja em promoção. É preciso usar de bom senso antes de adquirir qualquer peça, então devemos o necessário pra usar em determinadas ocasiões.

  3. washington ferreira says:

    No fim do ano passado comecei a aumentar o meu estoque de camisas xadrez, de lá pra cá,foram umas vinte e cinco camisas,ainda gosto de xadrez,mas acho que exagerei…Não precisava de tanto!

  4. Fernando says:

    Oi, Li o post todo, mas nao vi utilidade nele, pq tudo que ele pede para eu fazer sao coisas que nao consigo fazer sozinho, quero umas dicas de como comprar roupa legal pra mim, mas nao sei examinar a qualidade de um forro aparecendo ou a qualidade da costura na roupa… isso eh chover no molhado pra quem ja entende do assunto, preciso de dicas mais pra iniciante, tem alguma ai? Obrigado

    • Ricardo says:

      Fernando,
      a única dica que eu tenho para você é que leia o restante dos posts do site, aprenda sobre caimento, estilo e acabamento para poder identificar uma peça de roupa que realmente valha a pena comprar, pois não existe mágica, ou você se intera sobre o assunto ou vai comprar errado.

      Abs.

Deixe um comentário